A China pode ser uma grande fonte para buscar conhecimento sobre determinado assunto. Para exemplificar esta perspectiva podemos analisar o sentido da expressão DEPAYSEMENT, do francês François Laplantine, Professor da Universidade Lumière Lyon 2, que significa a perplexidade provocada pelo encontro das culturas que são, para nós, as mais distantes, levando a uma modificação do olhar que se tinha sobre si mesmo. Presos a uma única cultura, não somos apenas cegos à dos outros, mas míopes quando se trata da nossa.

 

Para diversas pessoas o assunto inteligência estratégica não é só complexo, mas também controverso. O que é considerado “inteligência estratégica” para uns, pode ser rotulado como “espionagem” para outros. Além do mais, não está claro para muitos estudiosos a diferença entre inteligência estratégica e inteligência tática. Mesmo para alguns que entendem a diferença, é possível que não concordem sobre onde a linha divisória entre os dois deveria ser marcada. 
 
A Inteligência Estratégica Chinesa aqui representada é manifestada através do Sistema Ving Tsun, um tradicional sistema chinês de inteligência estratégica com base no desenvolvimento humano. Fundado no século XVIII pela Mestra Yim Ving Tsun, a partir da herança das artes marciais do renomado Monastério Shaolin, sendo influenciado pelo Pensamento Estratégico Clássico Chinês (desenvolvido no Período dos Reinos Combatentes 475-221 a.C.). O Sistema Ving Tsun foi reconhecido pelo governo chinês como Patrimônio Cultural Intangível, fundamentado pelo programa da UNESCO.

 

Desta forma, a Inteligência Estratégica Chinesa se caracteriza pela capacidade de antecipar o benefício de uma situação no seu momento mais ínfimo, para assim identificar as condições favoráveis para um efeito desejado. A estratégia clássica chinesa não separa a teoria da prática, fazendo com que o termo “estratégia” se identifique muito com o significado dado pelo Dicionário Houaiss: “arte de aplicar com eficácia os recursos que se dispõe ou de explicar as condições favoráveis de que por ventura se desfrute, visando o alcance de determinados objetivos."
 
Esta sabedoria desenvolvida a milhares de anos e ao longo de muitas guerras não é expressada exclusivamente no combate corpo a corpo, podendo ser utilizada em diversas atividades das áreas de Segurança e Defesa, sendo possível prover experiências mobilizadoras, convidando a análise e reflexão, estimulando insights de valor inestimável aos desafios da atualidade.
 
Portanto, a ideia não é recorrer a certos aspectos da cultura chinesa devido a uma fascinação pela longinquidade ou a um gosto pelo exotismo, mas a escolha pela cultura chinesa é acima de tudo estratégica.

Inteligência Estratégica Chinesa